Resenha: "A Bela e A Fera" - Hannah Howell









Resultado de imagem para A BELA A FERA HANNAH HOWELL 



Por trás das aparências...
Às vésperas de seu casamento, Gytha Raouille, uma jovem de rara beleza, descobre que o noivo está morto. E agora ela deve se casar com o novo herdeiro das terras de Saitun, um cavaleiro endurecido por muitas batalhas, conhecido como Diabo Vermelho... Com o rosto marcado por cicatrizes e o coração ferido por uma grande desilusão, a última coisa que Thayer Saitun deseja é uma esposa. Porém, nem mesmo o Diabo Vermelho consegue romper o compromisso assumido por seu pai adotivo anos atrás. Assim, ele se vê unido a uma mulher linda e inocente. Mas seria a doce Gytha capaz de enxergar além das aparências e descobrir os sentimentos profundos que ele guarda na alma?





Essa releitura de A bela e a Fera se ambienta no século XIV, com uma mocinha muito bela e uma fera conhecida como o Diabo Vermelho, vivendo um romance de época bem cativante e com aquela dose de transformação através do verdadeiro amor.

A Fera, Thayer, apresenta-se como um guerreiro robusto, alto, forte, másculo, cheio de cicatrizes pelo corpo e no coração proveniente de suas batalhas sempre vencidas e de traições e decepções com as mulheres. O que ainda completa o aspecto do personagem é que ele é ruivo, o que é bem diferente para as pessoas da época, aliado com sua falta de beleza no rosto e o fato de não ter muitos bens. Ele também apresenta uma grande insegurança decorrente do seu aspecto físico e um amor do passado que o trai da pior maneira possível. Apresenta ainda uma característica bem forte por ser guerreiro e grita com algumas pessoas, mas no fundo se mostra alguém que tem um bom coração e não faz mal, verdadeiramente, a ninguém a menos que seja para lutar por sua vida e de seus amigos nas suas batalhas.
A bela, Gytha, é uma jovem bastante cobiçada pelos seus atributos físicos e beleza inconfundível, além de ser da nobreza, mas ela já está prometida desde o seu nascimento ao herdeiro das terras Saitun. O problema é que o principal herdeiro morre nas vésperas do casamento e a mocinha passa por troca de noivos em poucas horas. Conhece o Thayer momentos antes de saber que é o homem com quem irá se casar devido a um mal entendido que diz que ele está morto. Quando aparece, algumas coisas são esclarecidas e o casamento acontece.
Os aspectos mais apaixonantes da história foram que logo no primeiro olhar, a Gytha se encanta com o Thayer mesmo com sua aparência amedrontadora e percebe nele um homem muito interessante. Ela também tem um sonho de se casar por amor e ser fiel e uma amável esposa do seu marido, mas logo no início percebe uma certa distância do Thayer que apesar de ser um ótimo amante e se dar muito bem nas questões físicas que envolvem paixão não consegue se entregar de pleno coração a sua amada por sua baixa- estima e  por não se considerar digno da sua beleza. Isso gera alguns maus entendidos durante a trama com ajuda de alguns personagens que tentam destruir o lindo amor que nasce da convivência, ainda enfrentam muitas intrigas pelo poder, mas que só ajudam a tornar a história do casal mais real e linda de se ver.
Com cenas de guerra, ferimentos, cuidados a lá bela e fera, muito romance, intrigas, personagens secundários mais do que especiais e descobertas envolvidas, a história ganhou meu coração por se mostrar um romance extremamente cativante, com personagens incríveis e revelações mostrando a força do amor que mais do que transformar, cura e permite externar os mais belos sentimentos e bondade por trás das piores e mais encantadoras feras.
 Irei fazer uma série de postagens mostrando algumas releituras e inspirações de livros do clássico A Bela e a Fera.

Comentários