Resenha: "O Livro das Princesas" - Meg Cabot, Paula Pimenta, Lauren Kate, Patrícia Barboza










“Da mesa da Princesa Mia Thermopolis: Olá, amigos, fãs e companheiros admiradores de princesas (ou eu deveria dizer simpatizantes de princesas?)! Eu mal pude acreditar quando alguém do Brasil permitiu que EU desse uma olhadinha neste livro. Mas acho que faz sentido, já que, além de ser uma princesa, também tenho verdadeira paixão por histórias românticas! Acreditem no que eu digo, este livro tem essas duas coisas de sobra! Mas são releituras contemporâneas, com reviravoltas que farão você dizer owwwwnnnnnn… Uma Cinderela DJ? Rapunzel popstar? Bela é uma supermodelo? E unicórnios em A Bela Adormecida?! Sim, por favor! Mais, mais. POR FAVOR. Não se preocupem, tem mais. Muito mais. Eu amei, e vocês também vão! (Sim, você também vai amar, Tina Hakim Baba. Pode pegar meu exemplar emprestado quando eu terminar de ler. Não, melhor: compre o seu. Assim você vai poder ler de novo e de novo, como eu pretendo fazer.)
Sinceramente, Sua Alteza Real, Princesa Mia Thermopolis”





     O Livro das Princesas reúne 4 releituras de famosos contos de fadas( A Bela e a Fera, Cinderela,  A Bela Adormecida e Rapunzel). Com escrita leve e fluída bem a cara do verão reconta os clássicos de maneira divertida e jovem mostrando por uma nova perspectiva que existem princesas nos dias atuais. 

      
      O primeiro conto “A Modelo e o Monstro” escrito pela Meg Cabot reconta “A Bela e Fera” numa viagem  em um cruzeiro na qual a garota irá conhecer um jovem misterioso que a salva. O legal é que por mais que a garota seja uma modelo, ela não se importa com mundo da beleza, na verdade não gosta nem um pouco do trabalho e o estereótipo que isso carrega, mas o trabalho é necessário por questões financeiras. Nesse cruzeiro a bela encontra um jovem que esconde seu rosto de maneira misteriosa e se encanta com a história por trás de tudo. O segundo conto “Princesa Pop”(meu preferido) escrito pela Paula Pimenta traz a história da Cinderela através de uma adolescente DJ, e todos elementos clássicos da famosa história com a presença da madrasta má e suas irmãs chatas, perda do sapatinho (que não é  de cristal, mas está valendo), e um príncipe muito do fofo. A vida da protagonista desmorona quando ela flagra o seu pai tento um caso com outra, nisso nós sentimos a dor da separação dos pais e reconstrução de nova família por uma perspectiva de uma adolescente que tinha sua vida perfeita e passa a ter vários problemas, mas com ajuda de amigas e tias madrinhas ela consegue ter o seu momento feliz. Acho que a Paula sobre recontar um clássico como ninguém de maneira descontraída ainda trazendo um toquinho de amadurecimento da mocinha deixando-nos com gostinho de quero mais.
       O terceiro “Eclipse do Unicórnio” da Lauren Kate foi o mais fraquinho recontando “A Bela Adormecida” envolvendo magia, anjos ,unicórnios. O personagem principal nesse conto foi o garoto vítima de uma desilusão amorosa que vai a uma excursão em Paris e acaba encontrando de forma mágica em um castelo uma princesa adormecida por centenas de anos e a salva junto com o poder de um chifre de unicórnio.A história é praticamente a mesma da adaptação que conhecemos mudando alguns elementos como a presença de anjos e de furo de unicórnio ao invés da roca de fiar, tem a magia envolvida e deixou a desejar no sentido de trazer uma história diferente. O quarto “Do Alto da Torre” da Patrícia Barboza outra história que me encantou e mostrou “Rapunzel” de uma maneira bem original contando a história de uma jovem órfã que vive com a madrinha desde a morte dos pais, sendo a madrinha muito jovem na época do acidente fica com a enorme responsabilidade de educar uma garota e acaba tendo muito zelo por ela não a deixando fazer muitas coisas para se divertir. A relação com o cabelo grande é tida por uma promessa  que essa madrinha fez após a menina passar por grave problema de saúde, não cortando o seu cabelo até que completasse 15 anos, momento em que se aproxima no conto. Com um fiel amigo ela começa a ficar famosa na internet ao fazer covers, pois ela canta muito bem, e após alguns acontecimentos ela descobre sobre amor verdadeiro e sonhos. O que mais gostei é que os próprios personagens brincam com a história de Rapunzel fazendo referência também a certas partes do conto, achei bacana a autora trazer elementos do conto tão mágico para a realidade contemporânea como o canto, problemas na visão e o apego ao cabelo.
    
 No geral a leitura foi bem prazerosa daquelas bem rapidinhas e fáceis de se ler trazendo releituras interessantes com adolescentes e seus problemas atuais, sem magia(com exceção do terceiro conto) mostrando que cada garota pode ser uma princesa lutando por seus ideais sem a necessidade de esperar um príncipe em um cavalo branco.

Comentários